terça-feira, 29 de dezembro de 2009

E por falar em adoção...

Marília tinha cerca de 7 anos quando nos conhecemos.
Sua mãe foi uma das pessoas mais iluminadas que conheci, era cega e lidava com a deficiência como um fato corriqueiro em sua vida; ela me ensinou a passar lençol com elástico! Fazia os melhores pães de mel do mundo, que para serem identificados ela enfeitava com uma florzinha laranja nos que tinham recheio de damasco e vermelha nos recheados com cereja.
Brincava dizendo assim:
-Tenho que identificar porque vocês são deficientes olfativos!
Alguns anos depois desenvolveu uma forma de câncer que a levou.
O pai também era deficiente visual assim como o irmão que também faleceu de uma forma rara de câncer ainda adolescente.
Estou contando tudo isto apenas para situá-los no cenário desta família que, com uma dose extra de amor, adotou Marília ainda bebêzinha.
Quando nos conhecemos Marília me explicou:
-Minha família era órfã de filha!
Minha querida, tenho muitas saudades de você!
Apareça pra eu poder lhe abraçar!
Que a vida possa lhe ensinar tanto quanto aprendi com sua mãe e lhe trazer tantas alegrias quanto tinham sua mãe e seu irmão!
FELIZ 2010!

Nenhum comentário: