segunda-feira, 10 de agosto de 2009

O remédio esperto


Otávio de 5 anos veio à consulta porque estava com dor de garganta, mas enquanto subia as escadas do prédio bateu o pé em um degrau e machucou o dedão.
Após examiná-lo e sem saber do dedão eu prescrevo um anti-inflamatório;
-Tia, quando a gente tá com duas dores e toma um remédio, onde ele vai primeiro, na dor mais perto ou na dor mais “doída”?
-Como assim??
-É que se for na dor mais perto o remédio vai passar na garganta e resolver, mas o dedão (e apontou para o próprio) tá doendo muito mais! Se não chegar lá, não vai adiantar nada!!
-Não se preocupe Otávio! Os remédios funcionam como se fossem chave e fechadura, eles se encaixam em todos os lugares que estiverem doendo ao mesmo tempo!

-Ao mesmo tempo??Nossa! Muito mais inteligente que minha professora! Exclama com um ar de vitória.
-Não entendi! O que a sua professora tem com isto?
-É que quando a gente começa a perguntar muita coisa, todo mundo ao mesmo tempo, ela fica falando:

"Um de cada vez! Um de cada vez!"

2 comentários:

Anônimo disse...

Parabéns Zuleid! Você vai além, entende a alma das crianças e se apaixona por elas. Renata Leal

Anônimo disse...

Este meu sobrinho, que inteligente.
Lilian